Entrevistas


                    Felipe Molina Sentinger
- Fundador da Lista e membro da Comissão de Fundação do OmegaClube

(OmegaClube) Qual/como foi o seu primeiro contato com o Chevrolet Omega ?

Pois então, foi bem antes do meu pai adquirir o nosso Omega em 2001, na verdade, foi em 1996, um CD azul marinho, não lembro o ano, mas estava tilintando de novo... Um médico da FFFCMPA (faculdade federal de medicina de Porto Alegre/RS), que era onde meu pai trabalhava na época, nos deu uma carona... Que carro, que sonho! Desde aquela época (eu tinha 13 anos e já admirava o Opala), passei a adorar o Omega e não via a hora de o meu pai comprar um...

Passaram-se os anos e, bem, como já disse, em 2001 adquirimos o nosso primeiro e único Omega que está hoje ainda em nossa garagem, 70000 km depois, e muito bem rodados...

(OmegaClube) Gostaria de nos contar algum episódio de experiência particular ou curiosa com relação ao Chevrolet Omega ?

Claro que sim, histórias tem muitas, mas a que mais me marcou foi aquela em que me roubaram o Omega... Nós tínhamos o carro fazia 1 ano, eu tinha ido à casa de um amigo para de lá irmos a uma pizzaria para comemorar o seu aniversário. Bem, bastaram 20 minutos em que eu deixei o carro em frente à casa dele até eu descer novamente e constatar que tinham levado o Omega! Não preciso dizer que foi o fim da minha noite! Liguei para a polícia, dei parte, liguei pro meu pai, que me mandou ir à delegacia mais próxima enquanto ele pegava o carro do meu tio emprestado, rodamos grande parte da zona norte de Porto Alegre, e inclusive Cachoeirinha e Gravataí que são as cidades onde costumam levar os carros roubados na zona norte, mas nada! Gasolina gasta em vão...

Ficamos exatos 21 dias sem notícias do carro até que me ligaram de uma delegacia em São Leopoldo, a 50 km de Porto Alegre, acharam meu carro! Intacto, ou melhor, com todas as peças mais caras, mas levaram rodas 16", o som com duas caixas de grave, que eu estava trocando na ocasião, a disqueteira sony de 10 CDs, os carpetes, o acabamento do isqueiro, a bateria que era nova, o estepe que era original do carro ainda, um Eagle GT+4 zerado, e mais algumas pecinhas de acabamento... Foi encomenda? Provavelmente, pois o carro foi achado no centro de São Leopoldo, chaveado inclusive...

Foi o maior susto, e maior desespero de minha vida, perder aquilo que era um sonho realizado pra mim. Felizmente tudo correu bem e voltamos a ter nosso estimado automóvel. Um alívio, mas também uma lição, de que não podemos nos descuidar pois basta uma rápida perda de atenção e algum meliante nos toma o fruto do nosso suor sem o menor esforço ou vergonha...

(OmegaClube) Na sua opinião o que faz do Omega um carro à frente dos concorrentes ?

Bem, o que mais marcou no Omega, foi que em 1992, época da reabertura do Brasil para a importação, o Omega chegou aqui batendo de frente aos importados, deixando todos os carros então fabricados aqui envelhecidos no mínimo em 10 anos. Era o carro de primeiro mundo produzido aqui, no Brasil! Mostrava que a Chevrolet ainda sabia fazer carros de alto padrão, oferecendo o melhor em termos de automóvel que o bolso do consumidor poderia pagar... Possuía itens de série que ainda hoje são opcionais caros na maioria dos automóveis... Marca também o último carro com tração nas rodas certas fabricado pela GM do Brasil. Depois do Omega, não surgiu um automóvel no Brasil capaz de igualar a estabilidade e a diversão ao volante do Omega. É por essas e por outras que amo o Omega, e tão logo quanto puder, comprarei o meu próprio Omega, só meu, e de mais ninguém!

(OmegaClube) Espaço aberto para comentários adicionais, causos, curiosidades.

Como todos sabem, fui eu quem criou a Lista que deu origem a este nosso maravilhoso Clube. À época criei com o intuito de reunir os proprietários do Omega para trocar experiências, conhecer pessoas que tinham o mesmo amor pelo carro e tal, conheci o nosso grande amigo e Presidente Maurão... O Furini foi um dos primeiros a integrar a lista, pois já o conhecia da lista do Opala... Foi um início meio tímido, mas conforme ia aumentando o número de participantes, maior era a visibilidade daquela lista, até que um dia resolvemos organizar o Clube e transformar a então "Chevrolet_Omega@yahoogrupos.com.br" em "Omega_Clube@yahoogrupos.com.br" foi o início de tudo. Cada vez mais gente se junta em torno de um só ideal, de fazer com que o nosso querido Chevrolet Omega seja preservado e proporcione aos seus proprietários muitos bons momentos atrás do seu volante... Por isso, uso este espaço para agradecer, de coração, a todos que hoje integram este grande Clube, que o divulgam, que gostam de criar novas amizades, e manter duradouras as antigas.

Muito obrigado e um forte abraço a todos!
Felipe Molina Sentinger






Rodrigo Alonso Martins - Membro da Comissão de Fundação do OmegaClube


(OmegaClube) - Qual/como foi o seu primeiro contato com o Chevrolet Omega ?

Em 1993, mais precisamente meu Pai, adquiriu um Omega CD 3.0 em substituição a um Diplomata 1991, já que à época, foi o "must have" de alguns executivos que cresciam.

Era um modelo Cinza e foi marcante na família de tal forma que motivou a compra em 1995, na troca de tal modelo acima, de uma versão GLS 4.1. A versão CD havia ficado com um valor demasiadamente elevado, ficando restrito a poucos mais endinheirados. Mas igualmente, foi muito bem recebido por seu acabamento refinado e pelo fato de contar com o teto solar.

Este modelo 95 GLS 4.1 é na realidade o carro que eu vim a adquirir de meus pais após 10 anos de tê-lo na própria garagem, cedendo à mesma paixão que conquistou meus pais quando da compra de nosso primeiro modelo.

Atualmente, conto com o modelo GLS 4.1 95 e em casa, como não poderia ser diferente, ainda temos um Omega (agora importado da Austrália) CD 3.8 V6, que futuramente será mais uma de minhas aquisições.

(OmegaClube) - Gostaria de nos contar algum episódio de experiência particular ou curiosa com relação ao Chevrolet Omega ?

Embora um pouco delicada, o episódio mais marcante com meu Omega foi quando, antes do início de sua preparação, ou seja, ainda original, no retorno de uma viagem a Indaiatuba (interior de SP) na qual estava presente no carro um de meus melhores amigos, atingimos a marca dos 260 km/h no painel na Rodovia dos Bandeirantes, e logo quando do acontecimento, tal amigo emitiu a seguinte frase: "Caramba, não tinha idéia que esse carro de tio, com esses bancos que parecem poltronas de descanso, andasse tanto e fosse capaz de atingir essa velocidade... Animal"!!!!

(OmegaClube) - Na sua opinião o que faz do Omega um carro à frente dos concorrentes ?

O que difere o Omega dos demais, é o fato de que, em sua versão nacional, possui o requinte e conforto de um veículo luxuoso e exclusivo, com a habilidade mecânica de um esportivo, quando comparado aos outros veículos nacionais. Por tal motivo, é que até hoje, o Omega faz frente aos demais veículos sempre sendo visto como uma referência de status e bom gosto.

(OmegaClube) - Espaço aberto para comentários adicionais, causos, curiosidades.

Atualmente, meu Omega (4.1 GLS 95) é ainda mais exclusivo contando com uma mecânica fortemente modificada, dando ao meu carro uma exclusividade ainda maior, e o colocando entre amigos, no topo da lista dos desejos, já que poucos Omegas andam pelas ruas contando com uma força descomunal de 700 cavalos.

*
* Rodrigo Alonso Martins
* MARTINS E SALVIA ADVOGADOS, São Paulo
* Rua Campos Bicudo, 98 - 9. andar - Itaim
* Fone: 55 11 3066-5932
* Cel.: 55 11 9965-3908
* Fax: 55 11 3066-4848
* E-mail: rodrigo.martins(a)martinsesalvia.com.br
* Website: www.martinsesalvia.com.br